Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Blog de J. Cura

Blog pessoal sobre filatelia e outros colecionismos

Blog de J. Cura

Blog pessoal sobre filatelia e outros colecionismos

Tupai - franquia mecânica

A Tupai - Fábrica de Acessórios Industriais S.A. foi fundada em Águeda (Raso de Paredes) em 1976, é uma empresa que opera na área da metalomecânica ligeira, trabalhando 3 matérias-primas de base: o latão, o zamac e o inox, fazendo ferragens para a construção civil (pelos quais é conhecida pelo público) e produtos OEM (sob especificação e marca de clientes). Puxadores, fechaduras são os seus produtos principais desde o início da sua história.

Segundo a empresa "A TUPAI posiciona-se hoje como uma marca de referência junto de arquitetos, projetistas, distribuidores, instaladores e consumidores finais."

franquia_agd_tupai_19780214.JPG
Franquia mecânica de teste (00,00), da Tupai, máquina XV 343 da estação CTT de Águeda de 14/02/1978

 

Fábrica de Malhas Almagre - franquia mecânica

A Fábrica de Malhas Almagre, situada no Covão, Valongo do Vouga, concelho de Águeda, foi fundada em 1967 por António Bastos Xavier e Ana Maria Xavier e Olávio Sereno (falecido em agosto de 2016), tendo funcionado durante cerca de 40 anos. A fábrica chegou a ter cerca de 400 trabalhadores.

Entrou em falência no ano 2000, tendo venda de patrimónios das Malhas Almagre, sido feita pela Pote d' Água - Vendas Judiciais e Particulares, Lda

Na mesma freguesia existiram várias empresas do setor têxtil que também faliram (p. ex. Arrancar, Santelmo ou a António Pereira Vidal), bem como a  Handy, de material de escritório, que também usou uma franquia mecânica com publicidade (Franquia mecânica de Santa Marta - Lisboa nº121 Tipo XIV).

Refira-se que o termo almagre corresponde a um tipo de argila avermelhada, utilizada na indústria.

franquia_agd_almagre_19771209.JPGFranquia mecânica de teste (00,00), das Malhas Almagre, máquina XV 207 da estação CTT de Águeda de 9/12/1977

 

Publicidade: Cerâmica do Vale do Mouro

livro_carro_quartanistas_ciencias_geologicas_qf_19

Publicidade à Cerâmica do Vale do Mouro, de Aguada de Baixo (ou Barrô?) de 1959, incluida no livro de quartanistas do curso de Ciências Geológicas da Universidade de Coimbra, da coleção do autor.

A empresa, fundada em 1947 pelo Comendador Almeida Roque (falecido em maio de 2018 aos 99 anos), produzia tijolos e pavimentos especiais, tendo falido em 2008(?) e dissolvida em 2018. Possuia, à semelhança de outras empresas cerâmicas do concelho, principalmente na zona das Aguadas e Barrô, um bairro onde viviam a maioria dos seus trabalhadores. Estes bairros são conhecidos como zonas de pobreza, tendo sofrido várias ações de apoio social e melhoria das condições dos mesmos a partir da década de 1990. 
As instalações da fábrica possui uma chaminé imponente, considerada Imóvel de Interesse Patrimonial.

Publicidade: Oliveiras - Águeda

livro_carro_germanicas_qf_1959 (1).JPG

Publicidade de 1959 à empresa "Joaquim Fransciso de Oliveira, Lda", conhecida como "Oliveiras", e mais tarde "Oliveiras - Transportes e Turismo, S.A.R.L.", empresa de transporte de passageiros, com sede em Águeda na Av. Doutor Joaquim de Melo e escritórios na Rua da Sofia em Coimbra. Esta publicidade estava incluida no livro do carro do curso de Germânicas da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, da coleção do autor.

A "garagem dos Oliveiras" em Águeda era a paragem dos autocarros da empresa que circulavam por toda a região Centro, mas fazendo carreiras do norte até Lisboa, sendo que depois foi mais tarde (1976)  incluida numa nacionalização, sendo uma das 94 empresas que deram origem à Rodoviária Nacional e hoje é a Transdev. Nos dias de hoje é ainda o entreposto de passageiros da cidade.

Foto de 2018 do Google Street View:

foto_oliveiras_2018_g_streetview.JPG

 

Calendário EFS 1963

calend_1963_agd_efs_f.JPG

calend_1963_agd_efs_v.JPG

Calendário de bolso da motorizada EFS 220m "a motorizada do ano", de 1963.

A EFS ("Eurico Ferreira Sucena") teve a sua origem numa fábrica de acessórios para bicicletas no início da 2ª década do século XX, na Borralha, Águeda, tendo produzido o seu 1º ciclomotor em 1952, e feito a sua 1ª exportação em 1969. Em 1974 são construídas instalações de raiz em Avelãs do Caminho. Fechou durante a década de 1980, à semelhança de outras indústrias de 2 rodas na zona de Aveiro/Águeda.