Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Blog de J. Cura

Blog pessoal sobre filatelia e outros colecionismos

Blog de J. Cura

Blog pessoal sobre filatelia e outros colecionismos

História da Computação Brasileira

carta_brasil_selos_historia_computacao_20181130.JP

Carta circulada de Conceição do Coité, estado da Bahia, Brasil para Vila Seca, Condeixa-a-Nova, Portugal com os 3 selos auto-adesivos da emissão "História da Computação Brasileira", com 1º Porte Carta Não Comercial (os 3).

 

Segundo a pagela/edital, "a emissão é composta por três selos que apresentam uma reprodução frontal dos primeiros estudos e projetos de computadores nacionais: o “Zezinho”, o “Patinho Feio” e o Cobra-530, este o primeiro computador comercial totalmente produzido no Brasil. Para registrar a história, o artista inseriu as datas de finalização dos projetos e matizou cada um deles em tons de azul, verde e amarelo, fazendo referência à bandeira nacional. A ilustração foi realizada no estilo Flat Design e computação gráfica. Na folha de selos consta uma citação de Alan Turing, considerado o Pai da Computação, escrita em código binário ASCII".

 

Pesquisando um pouco, descobre-se sobre cada um dos computadores:

Em 1961, 4 alunos e um professor do ITA (Instituto Tecnológico de Aeronáutica) construiram o “Zezinho”, como trabalho de fim de curso de engenharia eletrónica, com auxílio financeiro do CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico) de 350 dólares. O painel tinha 2 metros de largura por 1,5m de altura. Foram utilizados cerca de 1500 transístores e díodos de fabrico brasileiro, produzidos por uma subsidiária da Philips (Ibrape), tendo capacidade para fazer 20 operações. Ganhou lugar na história da computação brasileira como o primeiro computador não-comercial transistorizado totalmente nacional. Embora um sucesso, foi desmontado pelos alunos das turmas seguintes...

Foi no Laboratório de Sistemas Digitais da Escola Politécnica da USP (Universidade de São Paulo) em 1972 que foi concebido também como trabalho de fim de curso o "Patinho Feio". É considerado como o primeiro computador, documentado e com estrutura de computação clássica, desenvolvido no Brasil. A memória podia armazenar 4.096 palavras de 8 bits, ou seja, 4K. Tornou-se um marco porque gerou massa crítica para a consolidação da indústria informática no Brasil.

Em 1980 foi lançado no Congresso da SUCESU - Sociedade dos Usuários de Tecnologia, o Cobra 530,  o primeiro computador comercial totalmente projetado e construído no Brasil. A Computadores Brasileiros (COBRA),  era uma empresa estatal que tinha como objetivo transformar o sucessor do Patinho Feio, o G-10 num produto comercial nacional. Os modelos evoluiram até chegar ao mercado o Cobra 530.

Obrigado ao Glauber por fazer circular esta peça.

Carta com marca de dia de Posto de Correio de Manteigas

carta_ccd_pc_o_marcelino_manteigas_20190121_camara

Carta Taxa Paga da Câmara Municipal de Manteigas, circuladada para Coimbra, do Posto de Correio O Marcelino (Manteigas) com data de 21/01/2019.

Este é um dos exemplos de sedes de concelho a ficar sem "loja" oficial dos CTT, sendo o serviço prestado por terceiros, neste caso uma loja de informática. Este PC funciona desde novembro de 2018, altura em que foi encerrada a estação de correio situada na Rua Dr. Sobral 61, em Manteigas. O posto situa-se agora na Rua 1º de Maio.
No mesmo distrito (Guarda) também encerraram as estações de Figueira de Castelo Rodrigo e Fornos de Algodres (sedes de concelho).

Postal máximo - Império do Espírito Santo

pm_ccd_praia_vitoria_20150513_regiao_turismo.JPG

Postal máximo do Império do Espírito Santo da Fonte do Bastardo (concelho da Praia da Vitória), na ilha Terceira com marca de dia de 2015/05/13 da Praia da Vitória sobre selo de €0,45 da emissão Regiões de Turismo.

 

"Império do séc. 20 de planta retangular, interiormente de espaço único, construído sobre soco e tendo despensa construída nas imediações. Apresenta a fachada principal rematada em frontão contracurvado sobreposto pela Coroa do Espírito Santo, estruturada e seccionada por três eixos de vãos, correspondendo a porta entre janelas, tendo estas inferiormente almofadas em losango, sendo os elementos estruturais e decorativos em argamassa, sublinhados por policromia verde, vermelha e amarela, de sabor popular. As fachadas laterais, com pilastras nos cunhais, são também estruturadas por vãos semelhantes, mas em número de dois."
in SIPA

 

Selos personalizados dos jogadores do Benfica em cartas circuladas

Várias cartas circuladas (e fragmento) "não filatélicas" com selos personalizados (meu selo) dos jogadores do Benfica , com marcas de dia e flâmula.
Foram emitidas pelos CTT e colocados à venda nas lojas, 3 séries de Selos de Figuras Históricas do SL Benfica, de 2016 a 2018.

carta_selo_person_benfica_201608 (1).JPG

carta_selo_person_benfica_201608 (2).JPG

carta_ccd_20161027_selos_person_benfica.png

carta_ccd_beja_20170109_selo_person_benfica_eusebi

carta_flam_ondas_cpl_sul_20161115_selo_person_benf

frag_selos_person_benfica_2017.JPG

 

Jogadores retratados nas várias séries:

1ª série (2016):
Cosme Damião
Eusébio
Julinho
Gustavo Teixeira
Arsénio
José Augusto
Nené
Neto
Nuno Gomes
Serra
Toni
Rogério Carvalho

2ª série (2017):
Simões,
Humberto Coelho,
Veloso,
Santana,
José Torres,
Cavem,
Costa Pereira,
Mário João,
Saraiva,
Germano,
Artur Santos

3ª série (2018):

Ângelo
Bastos Lopes
Francisco Ferreira
Humberto Fernandes
Shéu
Simão Sabrosa
Bento
Cruz
João Pinto
José Águas
Valadas
Luisão